Pular para o conteúdo principal

Entenda a Ordem de Vacinação Contra a Covid-19

A vacina contra a Covid-19 vem sendo aplicada desde janeiro, graças ao esforço dos órgãos de saúde em agilizar as parcerias com laboratórios internacionais. Além disso, o Brasil vem recebendo os insumos necessários para produzir as doses em solo nacional, o que pode tornar a vacinação ainda mais rápida e efetiva.

Mas é preciso levar em conta uma ordem que foi elaborada pelo Ministério da Saúde, o chamado Plano Nacional de Operacionalização, que orienta estados e municípios sobre as prioridades dentro de cada população. É ela que determina quem deve receber as primeiras doses. A seleção das pessoas com prioridade na imunização foi baseada em princípios da Organização Mundial da Saúde (OMS) e é feita em acordo com entidades como o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). 

Com o início da imunização, o risco do vírus é afastado gradualmente, assegurando mais imunizados e menos risco de infecção e transmissão. Além disso, é preciso levar em conta as especificidades de cada vacina, que podem variar em tempo de aplicação, quantidade de doses e manutenção das regras de distanciamento social. O foco da campanha é também desafogar os serviços de saúde e preservar o funcionamento dos serviços essenciais.

Mas que ordem prioritária é essa? De acordo com os órgãos responsáveis, aproximadamente 77,2 milhões de brasileiros conformam o chamado grupo prioritário. São eles:

  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas;
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas;
  • Povos indígenas vivendo em terras indígenas;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Pessoas de 80 anos ou mais;
  • Pessoas de 75 a 79 anos;
  • Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas;
  • Povos e comunidades tradicionais quilombolas;
  • Pessoas de 70 a 74 anos;
  • Pessoas de 65 a 69 anos;
  • Pessoas de 60 a 64 anos;
  • Comorbidades;
  • Pessoas com deficiência permanente grave;
  • Pessoas em situação de rua;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade;
  • Trabalhadores da educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA);
  • Trabalhadores da educação do Ensino Superior;
  • Forças de segurança e salvamento;
  • Forças Armadas;
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros;
  • Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário;
  • Trabalhadores de transporte aéreo;
  • Trabalhadores de transporte aquaviário;
  • Caminhoneiros;
  • Trabalhadores portuários;
  • Trabalhadores industriais. 

O Governo e os órgãos de saúde locais vêm acompanhando a aplicação das vacinas de acordo com as doses disponíveis e com as orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Até o momento, mais de 2 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a Covid-19, em um esquema escalonado que prevê a vacinação de forma ágil, segura e simultânea. Na fase atual, idosos entre 80 e 89 são a prioridade e em breve a oferta será para idosos entre 75 e 79, e logo depois entre 75 e 70. 

Com mais acordos com laboratórios internacionais sendo firmados, a expectativa é que mais doses sejam recebidas ao longo dos próximos meses, além dos insumos para serem produzidas aqui no Brasil.

https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/entenda-a-ordem-de-vacinacao-contra-a-covid-19-entre-os-grupos-prioritarios

Contato
Fale Conosco