Pular para o conteúdo principal
O que é a Vacina Pentavalente Acelular?

A vacina pentavalente previne contra as doenças difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae e poliomielite (VIP).

Quais as diferenças entre as vacinas Pentavalente das redes pública e privada?

Na vacina Pentavalente da rede pública, o componente pertussis (coqueluche) possui células inteiras. Na rede privada, ela é acelular, ou seja, não é feita com as células inteiras. A eficácia e segurança de ambas é a mesma. A diferença está nas reações que, de acordo com estudos comparativos, são significativamente menores quando aplicada a vacina acelular da rede privada.

Além disso, é importante saber que existe uma diferença na combinação das doenças que elas previnem: enquanto a vacina pentavalente acelular (clínica privada) protege contra difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae e poliomielite (VIP), a pentavalente celular (rede pública) protege contra difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae e hepatite B.

Quais doenças ela previne?

Difteria, tétano, coqueluche, poliomielite e Haemophilus influenzae tipo B.*

Como é aplicada?

Intramuscular.

Onde pode ser encontrada?

Ela pode ser encontrada na Imovac, com atendimento domiciliar, e nas clínicas privadas de vacinação. Existe vacina diferente nas Unidades Básicas de Saúde.

Indicação:

Crianças a partir de 2 meses até os 7 anos de idade.**

Contraindicações da Vacina Pentavalente Acelular:

Crianças maiores de 7 anos de idade.

Crianças que tenham apresentado encefalopatia (doença que afeta o funcionamento do cérebro) nos 7 dias seguintes à aplicação anterior de alguma vacina que tenha o componente pertussis na sua composição.

Pessoas que já tenham apresentado quadro de anafilaxia a qualquer componente da vacina.

Possíveis Reações:

Reações muito comuns: perda de apetite, irritabilidade, choro anormal (em crianças) e inquietação, sonolência, reações no local da injeção, como dor, vermelhidão e inchaço.

Reações comuns: sintomas gastrointestinais (diarreia e vômito), perda de apetite, febre, sensibilidade e endurecimento no local da injeção.

Reações incomuns: infecções do trato respiratório superior, linfadenopatia, tosse, bronquite, coriza, rash (erupção na pele) e urticária, febre (acima de 39,5ºC), cansaço, edema difuso do membro em que foi aplicada a injeção, às vezes envolvendo a articulação adjacente (reação de Arthus).

Reações raras: convulsões febris, coceira, dermatite, febre alta (acima de 40ºC), choro agudo ou incontrolável, inchaço das extremidades inferiores, reação alérgica grave, episódio hipotônico-hiporresponsivo (reação geralmente precedida por irritabilidade e caracterizada por palidez, perda do tônus muscular e perda da consciência. Apesar de angustiante, melhora sem deixar sequelas e não possui tendência a repetição em próximas doses.

Cuidados antes, durante e após a aplicação da Vacina Pentavalente Acelular:

Aplicação: A aplicação intramuscular pode ser trocada pela subcutânea nas pessoas com doenças que aumentam o risco de sangramento.  

Ocorrências: Ao apresentar ocorrências graves ou inesperadas depois da aplicação, o serviço que realizou a vacinação deve ser informado.

Dor: As dores no local de aplicação podem ser aliviadas com compressas frias. Nos casos de dores mais acentuadas, consulte o seu médico para o uso correto de medicação.

Sintomas Prolongados: Os sintomas persistentes, que duram por mais de 72 horas, devem ser pesquisados para a verificação de outras causas.

Quantas doses tomar?

Como rotina aos 2, 4, 6 meses e entre 12 e 18 meses. Pode ser substituída pela hexavalente para incluir a vacina contra hepatite B na mesma injeção (a critério médico).

Para reforço entre 4 e 5 anos de idade, recomenda-se o uso de DTPa ou dTpa-VIP.

Tem alergia? Confira do que é feita a Vacina Pentavalente Acelular:

Como é uma vacina inativada, não há como provocar a doença.

DTPa-VIP/Hib: Além dos componentes da vacina tríplice bacteriana acelular (DTPa), contém componente da bactéria Haemophilus influenzae tipo b conjugado e vírus inativados (mortos) da poliomielite tipos 1, 2 e 3.

Lactose cloreto de sódio, 2-fenoxietanol, hidróxido de alumínio e água para injeção também fazem parte da composição da vacina, que ainda pode conter traços de antibiótico (estreptomicina, neomicina e polimixina B), formaldeído e soroalbumina de origem bovina.

* Vacina Pentavalente do SUS protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e Haemophilus influenzae tipo b. Na rede particular, a vacina protege contra difteria, tétano, coqueluche, poliomielite e Haemophilus influenzae tipo b. Já a vacina Hexavalente, disponível na rede privada, protege contra difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite (VIP) e hepatite B, numa só “picada” (injeção).

** Aos 4 meses, a vacina do seu bebê pode ser a penta ou a hexavalente. Consulte o seu médico.

Contato
Fale Conosco