Pular para o conteúdo principal
O que é a Vacina Tetravalente Viral?

A Vacina Tetravalente Viral (também chamada de tetra viral) é adotada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para a aplicação da segunda dose da vacina tríplice viral e a primeira dose da vacina varicela.

Quais doenças ela previne?

Sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

Como é aplicada?

Subcutânea.

Onde pode ser encontrada?

Ela pode ser encontrada na Imovac, com atendimento domiciliar, nas clínicas privadas ou nas Unidades Básicas de Saúde. *

Indicação:

Uso adulto e pediátrico a partir dos 9 meses de idade. Indicada como rotina a partir dos 12 meses de idade, porém, em situações de surto ou epidemia, a primeira dose pode ser administrada a partir dos 9 meses de idade.

Contraindicações da Vacina Tetravalente Viral:

Não devem tomar a vacina gestantes, quem possui comprometimento da imunidade por doença ou medicação, quem possui histórico de anafilaxia depois de dose anterior da vacina ou a algum componente.

A maior parte das crianças com histórico de reação anafilática a ovo não apresenta reações à vacina. Mesmo que a reação a ovo seja intensa, não existe contraindicação ao uso da vacina Tetra Viral. É prudente, porém, que a aplicação seja realizada em ambientes hospitalares.

Possíveis Reações:

Reações muito comuns: vermelhidão no local da injeção e febre.

Reações comuns: infecção do trato respiratório superior, erupções na pele semelhante às do sarampo que geralmente aparecem de forma tardia (7 a 10 dias após a vacinação), e somem poucos dias depois, sem deixar sequelas. Podem ser seguidas de febre, por vezes acima de 39°C por 1-2 dias, além de dor e inchaço no local da injeção.

Reações incomuns: otite média, aumento ou surgimento de “gânglios” próximo à região do local da vacinação (linfadenopatia), perda de apetite, nervosismo, choro anormal (em crianças), insônia, conjuntivite, bronquite, tosse, aumento da glândula parótida, diarreia e vômito.

Reações raras: reações alérgicas (incluindo reação anafilática), convulsões febris, inflamação dos testículos (orquite), dor e inflamação das articulações.

Cuidados antes, durante e após a aplicação da Vacina Tetra Viral:

Medula Óssea: Crianças que estão em tratamento contra o câncer, passando por quimioterapia, só podem realizar a vacinação três meses após o término do tratamento.  

Medicamentos imunossupressores: Crianças que usaram medicamentos que diminuem a imunidade só podem ser vacinadas pelo menos um mês após a suspensão do uso do medicamento.

Quimioterapia: Crianças que estão em tratamento contra o câncer, passando por quimioterapia, só podem realizar a vacinação três meses após o término do tratamento.

Ocorrências: Ao apresentar ocorrências graves ou inesperadas depois da aplicação, o serviço que realizou a vacinação deve ser informado.

Quantas doses tomar?

A pessoa deve tomar duas doses na vida, com intervalo de um mês, aplicadas a partir dos 12 meses de idade para ser considerada protegida.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) indicam, como rotina para crianças, duas doses da vacina, com intervalo de três meses: aos 12 meses e entre 15 e 24 meses de idade. Se não for possível utilizar a tetravalente viral, ela pode ser substituída pela tríplice viral (SCR) e a vacina contra varicela aplicadas separadamente.

Crianças mais velhas, adolescentes e adultos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas, devem tomar duas doses com intervalo de um a dois meses.

A rotina do sistema público inclui duas doses de varicela: a primeira aplicada aos 15 meses (na apresentação SCR-V) nas crianças que já receberam a primeira dose da tríplice viral - e em formulação isolada, aos 4 anos.

Quem já teve sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora), é considerado protegido contra as doenças, mas é preciso certeza do diagnóstico. Havendo incerteza, recomenda-se a vacinação.

Tem alergia? Veja do que é feita a Vacina Tetravalente Viral:

É uma vacina atenuada. Apresenta os vírus vivos, porém “enfraquecidos”, do sarampo, da rubéola, da caxumba e da varicela (catapora), lactose anidra, sorbitol, manitol, aminoácidos, traços de neomicina e água para injeção. Apresenta traços de proteína do ovo de galinha usado no processo de fabricação da vacina.

  

* Na Imovac, para crianças a partir de 9 meses e nas Unidades Básicas de Saúde, para crianças de 15 meses a 4 anos.

Contato
Fale Conosco